TERAPEUTAS
André Gandur
Marilene Coelho

 
 

 

De origem grega, a palavra fitoterapia (Phito=plantas/ Therapia=tratamento), significa tratamento de doenças através do uso de plantas.

É o estudo das plantas para utilização na prevenção e tratamento de patologias, São usadas várias partes da planta (raiz, casca, flores, folhas) geralmente em forma de chá, preparado por meio de decocção ou infusão.

O uso das plantas medicinais é recomendado pela OMS, que valoriza as terapias tradicionais, considerando de grande utilidade em programas de atenção primária à saúde.
Importante ressaltar que todas as terapias da Medicina Tradicional Chinesa são complementares e não substituem o tratamento médico!

Nas próximas postagens aprofundaremos o estudo sobre fitoterapia!

Acompanhe através de nosso site e redes sociais, e qualquer dúvida entre em contato conosco!

 

Preparação das Plantas para Fins Terapêuticos

Para melhor aproveitamento das plantas, devemos escolher os modos de utilizá-las. As formas mais simplificadas são:

Chá Tradicional: é a bebida feita da erva seca ou fresca, colocada na água fervendo (tampada), onde ferverá por meio minuto.

Infusão: usado para plantas que perderiam suas propriedades submetidas a cozimento prolongado. Infusão significa verter água fervente sobre as ervas, deverá ser tampado e ficar em repouso. Para folhas e flores deverá ficar por no máximo 15 minutos, e no caso de raízes por algumas horas.

Decocção: mais indicado para raízes ou partes lenhosas, neste caso, deixe ferver o tempo necessário. No caso de flores, ferver por 5 minutos; folhas por 10 minutos; raízes por 15 minutos e cascas até por 30 minutos.

Maceração: processo destinado a amolecer, impregnar um líquido, onde se obtém os princípios solúveis e ativos da planta em toda sua integridade. Pode durar horas, dias ou semanas, em temperatura ambiente.

Regras Gerais

Para cada litro de água colocar aproximadamente 4 colheres de sopa de erva seca, o dobro será necessário sendo erva fresca.

Recomenda-se beber um tipo de chá por 45 dias, no máximo, e suspender por um tempo.

Adultos podem beber at é 1 litro por dia.
Crianças, reduzir a metade, a quantidade de ervas.
Não usar panelas de alumínio ou recipientes plásticos.
Não adoçar.
Não beber gelado. Beber entre as refeições.


Fonte: Plantas Medicinais e suas aplicações – Prof. Bartolomeu Alberto Neves

 

 
 

Cuidados na hora de preparar Chás com Plantas Medicinais

  • Preparar o chá, preferencialmente, com plantas colhidas há pouco tempo;
  • Usar apenas plantas que sejam do seu conhecimento; na dúvida consulte um profissional da área;
  • Não coletar plantas perto de fossas, lixos, esgotos, locais tratados com agrotóxicos e na beira de estradas (porque a fumaça dos veículos pode conter substâncias tóxicas que ficam na planta);
  • As plantas medicinais devem ser secas de forma adequada para que não ocorra perda do princípio ativo, até tornarem-se quebradiças antes de serem utilizadas;
  • Não armazenar as plantas medicinais por um longo período, pois podem perder os seus efeitos;
  • Evite misturas de plantas medicinais, pois a combinação entre elas pode resultar em efeitos imprevisíveis;
  • Não utilize durante a gravidez, a não ser sob orientação médica;
  • Evite utilizar chás laxantes ou diuréticos para emagrecer;
  • Não use um chá mais de 24 horas depois de preparado, pois ele entra em processo de fermentação, mesmo que mantido em geladeira.

Precisamos tomar conhecimento de que, mesmo sendo um medicamento natural, as plantas podem causar problemas de saúde se forem usadas de maneira errada!!!

 

 

 


Fonte: http://www.saocamilo-sp.br/blogfarmacia/wp-content/uploads/2010/10/Fitoter%C3%A1picos.pdf



 
     
 

Interações Plantas – Fármacos

 
 

 

As interações das plantas medicinais com medicamentos podem potencializar ou diminuir os seus efeitos. Existem poucos estudos sobre estas interações, mas alguns trabalhos mostram as consequências adversas de plantas conhecidas com alguns medicamentos. Segue abaixo alguns exemplos:
 
 
  • Nome Popular e Científico:  Alcachofra - Cynara scolymus
    Uso terapêutico: Baixa a concentração de gordura saturada e colesterol.
    Interação medicamentosa: Pode ocorrer sinergia com medicamentos   diuréticos.

  • Nome Popular e Científico:  Babosa - Aloe vera
    Uso terapêutico: Cicatrizante
    Interação medicamentosa: Interação moderada com hipoglicemiantes, diuréticos, laxantes e interação grave com digoxina.

  • Nome Popular e Científico:  Boldo - Peumus boldo molina
    Uso terapêutico: Tratamento de distúrbios intestinais
    Interação medicamentosa: Anticoagulantes

  • Nome Popular e Científico:  Camomila - Matricaria recutita
    Uso terapêutico: Antiespasmódico, antiinflamatório, calmante.
    Interação medicamentosa: Anticoagulantes, sedativos

  • Nome Popular e Científico:  Erva-cidreira - Melissa Officinalis
    Uso terapêutico: Antiespasmódico e distúrbios do sono.
    Interação medicamentosa: Interage com depressores do sistema nervoso central e com hormônios tiroideanos.

  • Nome Popular e Científico: Ginkgo - Ginkgo biloba

          Uso terapêutico: Melhora da circulação
          Interação medicamentosa: Pode potencializar fármacos anticoagulantes e antiinflamatórios não esteroidais como o ibuprofeno.


Fonte: Plantas Medicinais e Fitoterapia aplicadas aos sistemas orgânicos. Aline Emer

 

 

Interações Plantas – Fármacos (II)

As interações das plantas medicinais com medicamentos podem potencializar ou diminuir os seus efeitos. Existem poucos estudos sobre estas interações, mas alguns trabalhos mostram as consequências adversas de plantas conhecidas com alguns medicamentos. Segue abaixo alguns exemplos:

1.Nome popular e científico: Espinheira-Santa - Maytenus ilicifolia

Uso terapêutico: Antioxidante e protetora celular.
Interação medicamentosa: Por estudos experimentais trazerem a propriedade estrogênica, indica-se cautela juntamente com uso de anticoncepcionais.

2.Nome popular e científico: Castanha da Índia - Aesculus hippocastanum

Uso terapêutico: Fragilidade capilar, insuficiência venosa.
Interação medicamentosa: A semente da castanha da índia aumenta o risco de sangramentos ao serem utilizadas com ácido acetilsalicílico, varfarina, heparina e ibuprofeno.

3.Nome popular e científico: Cáscara-Sagrada - Rhamnus purshiana

Uso terapêutico: Purgativa.
Interação medicamentosa: Uso com diuréticos não é recomentado

4.Nome popular e científico: Gengibre - Zingiber officinale

Uso terapêutico: Aumenta a imunidade.
Interação medicamentosa: Compromete a ação de medicamentos que contenham sucralfato, ranitidina, lansoprazol.

5.Nome popular e científico: Guaco - Mikania glomerata

Uso terapêutico: Expectorante e broncodilatador.
Interação medicamentosa: Interage com antibióticos como tetraciclinas, gentamicina, vancomicina e penicilina. Tem interação moderada com anticoagulantes.

6.Nome popular e científico: Unha-de-gato - Uncaria tomentosa

Uso terapêutico: Artrite, reumatismo, antifúngico, analgésico e sedativo.
Interação medicamentosa: Interage com amitriptilina, buspirona, clomipramina, haloperidol.

Fonte: Plantas Medicinais e Fitoterapia – Aline Emer

 
 

Planta: Babosa (Aloe vera

 
 

Indicação

– Cicatrizante no tratamento de queimaduras
– Lesões e afecções de pele
– Queda de cabelo e seborreia
– Picada de inseto
– Acne
– Machucados e feridas

Como utilizar:
Uso externo

Usa-se o sumo fresco, aplicado diretamente, ou com uma parte cortada da própria folha. Atenção: antes de ser cortada, a folha deve ser lavada.

Contraindicações:

Não deve ser utilizado internamente em gestantes, lactantes, crianças e pessoas com varizes, afecções renais, apendicites, cistites, prostatites, disenterias e durante a menstruação.

Fonte: https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/plantas-medicinais-maneira-segura/

 

 

Planta: Tansagem (Plantago major)

 
 

Para que serve?

  • Inflamação da boca e faringe (estomatites, aftas, gengivite, inflamações de dente, amigdalite, faringite, sinusite)

  • Infecções oculares (conjuntivite, terçol)

  • Afecções de pele (abcessos, feridas, espinhas, acne, furúnculo, úlceras, queimaduras, feridas em mama, assadura e picada de inseto)
  • Aparelho digestivo (acidez estomacal, inflamação de intestino)

  • Inflamações de útero e ovários

Como utilizar?
Fazer um chá em infusão com uma colher de sopa de folhas secas trituradas para 500ml de água fervente
Tomar uma xícara de chá três vezes ao dia. Pode ainda fazer aplicação no local afetado ou bochechos e gargarejos três vezes ao dia.


Fonte: https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/plantas-medicinais-maneira-segura/

 

 

Planta: Espinheira Santa (Maytenus ilicifolia)

 
 

Para que serve?

  • Problemas gástricos e digestivos
  • Prevenção de úlceras
  • Azia

Como utilizar?
Fazer um chá em infusão com duas xícaras (café) de planta seca picada em 1 litro de água fervente
Tomar uma xícara antes das refeições

CONTRAINDICAÇÕES: Não utilizar em crianças menores de 6 anos ou em grávidas até o terceiro mês de gestação, pois promove a redução do leite.

Fonte: https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/plantas-medicinais-maneira-segura/

 

 

Erva - cidreira (Lippia alba)

 
 

 

Para que serve?
  • Cólicas abdominais
  • Quadros leves de ansiedade e insônia
  • Como calmante suave

Como utilizar?
Infusão 2 a 4g (1-2 colheres de sobremesa) em 150 ml (1 xícara de chá) de água.
Utilizar 1 xícara de chá de 2 a 3 vezes ao dia.

Contraindicações:

    • Não deve ser utilizado por pessoas com hipotiroidismo.
    • Utilizar com cuidado em pessoas com pressão baixa.


Fonte: Cartilha de Plantas Medicinais e Medicamentos Fitoterápicos – Governo do Estado de Pernambuco

 

 

Chapéu de couro (Echinodorus macrophyllus)

 
 

 

Para que serve?

  • Edemas por retenção de líquidos
  • Processos inflamatórios

Como utilizar?
Infusão: 1 g (1 colher de chá) em150 ml (1 xícara de chá)
Utilizar 1 xícara de chá 3 vezes ao dia

Contraindicações:

    • Não deve ser utilizado por pessoas portadoras de insuficiência renal e cardíaca.
    • Não utilizar doses acima da recomendada, pois pode causar diarreia.
    • Pode interagir com medicamentos anti-hipertensivos, causando queda da pressão.


Fonte: Cartilha de Plantas Medicinais e Medicamentos Fitoterápicos – Governo do Estado de Pernambuco

 

 

UTILIZE NOSSOS CANAIS DIGITAIS
Tel: (21) 97445-8205