TERAPEUTAS
André Gandur
Marilene Coelho

 
 

 

Chá de Maracujá

 
 



As folhas, caules e flores da planta passiflora são usados para fazer chá de maracujá, que costuma ser utilizado para aliviar a ansiedade.

Um estudo descobriu que o chá de maracujá também melhorou significativamente a qualidade de sono. Outra pesquisa mostrou que a planta pode aliviar os sintomas de ansiedade, irritabilidade e agitação.

A Passiflora é um gênero botânico com cerca de 465 espécies, das quais de 150 a 200 são nativas do Brasil. O uso mais conhecido da planta é a partir de seu fruto, o maracujá. Por meio dele, é possível se beneficiar de vitaminas (A, C e do complexo B) e de sais minerais, como potássio, ferro e cálcio. Outras partes da planta também podem ser aproveitadas.

Apesar de sua propriedade mais difundida como calmante, a passiflora apresenta benefícios diversos e múltiplas formas de uso, principalmente na medicina natural alternativa. Esta planta está inserida principalmente no campo da medicina homeopata, como forma de remédio para diversas patologias, incluindo ansiedade.

Benefícios da Passiflora

As diversas espécies do gênero têm ações tranquilizante, ansiolítica e antidepressiva, oferecendo melhor qualidade de sono e combatendo a ansiedade. Por causa disso, a passiflora pode auxiliar a emagrecer, agindo no controle da compulsão alimentar.

A passiflora tem funções antiespasmódica (combate contrações involuntárias dos músculos do corpo) e diurética. Ela também pode ser indicada para o tratamento de dores de cabeça de origem nervosa, como perturbações e inquietudes.

Pode Acalmar seu Estômago
Outras espécies da família Passiflora podem ajudar a tratar problemas estomacais. A Passiflora foetida, por exemplo, em um estudo publicado no Indian Journal of Pharmacology, demonstrou potencial para tratar úlceras estomacais.
Em outro estudo relatado na BioMed Research International, cientistas examinaram a Passiflora serratodigitata e também concluíram que a planta tem potencial para tratar úlceras.

Contraindicação

Apesar dos benefícios comprovados do fitoterápico de origem natural, não se recomenda a automedicação da passiflora. E é importante o acompanhamento por um homeopata ou com um terapeuta para a manipulação correta. Além disso, pessoas com pressão arterial baixa não devem consumir a planta.

Chá de Passiflora (folha de maracujá)

Para preparar o chá de passiflora coloque 200 ml de água para ferver e desligue o fogo. Insira a água numa xícara e acrescente uma colher de sopa de folhas secas de maracujá. Tampe a xícara por dez minutos. Coe e aproveite!

Fonte: https://www.ecycle.com.br/passiflora/

 

 

 

Chá de Amora

 
 

O chá de folha de amora é proveniente da amoreira, uma árvore indígena oriunda do continente asiático que se espalhou para outras partes do mundo, incluindo o Brasil. Os chineses cultivam amora há mais de 3.000 anos. Na medicina tradicional chinesa, a folha de amora também é utilizada para desintoxicar o fígado, melhorar a visão, aliviar sintomas de tosse e resfriado, curar tonturas, limpar o sangue, melhorar diarreia, tratar dor de estômago e prevenir envelhecimento precoce da pele.

A amora é muito rica em antocianina, uma substância que confere propriedades como efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios, reforço para a memória de curto prazo, prevenção do glaucoma e proteção ao coração.


O chá de amora pode ser utilizado para prevenir e tratar a diabetes. Isso porque ele contém um composto químico, chamado 1-desoxinojirimicina (DNJ), que diminui os níveis de açúcar no sangue após as refeições ricas em carboidratos.

O extrato de folhas de amora pode diminuir o acúmulo de placas de gordura nas artérias, condição também conhecida como aterosclerose, diminuindo o colesterol ruim.

A folha do chá de amora é riquíssima em vitaminas, minerais essenciais e radicais livres. O chá de folha de amora possui 25 vezes mais cálcio que a mesma quantidade de leite de origem animal.
 
 

Manter os níveis de cálcio saudáveis contribui para a manutenção da saúde dos ossos, previne câncer de cólon e reduz o risco de obesidade. O potássio presente na folha de amora contribui para a manutenção da saúde cerebral, prevenindo acidente vascular cerebral, controla a pressão arterial, ansiedade, estresse, distúrbios cardíacos e renais.

O chá de folha de amora também é rico em magnésio, um elemento necessário para mais de 300 reações bioquímicas no corpo. O magnésio ajuda a manter o funcionamento muscular e nervoso, ajuda a controlar o ritmo cardíaco, contribui para o sistema imunológico, mantém os ossos fortes, regula os níveis de açúcar no sangue, mantém a pressão sanguínea normal e dá suporte para o sistema metabólico e para a síntese de proteínas.

Além disso, o ferro presente no chá de amora contribui para a prevenção de deficiência de ferro e anemia.
A vitamina A melhora a imunidade, contribui para a saúde da pele e dos olhos, previne pedras nos rins, acne, câncer e atua como antioxidante.

Já a B1, também presente no chá de folha de amora, previne doenças cardiovasculares e do sistema nervoso. Ela também contribui para a produção de energia, manutenção da bainha de mielina e função cardíaca. A vitamina B2 encontrada no chá de folha de amora contribui para o alívio dos sintomas da asma, melhora a atividade da tireoide e do sistema imunológico.

A vitamina C, outro componente do chá de folha de amora, ajuda a tratar os sintomas do resfriado, estimula o sistema imunológico, reduz a hipertensão, diminui a toxicidade do chumbo, contribui para o tratamento da catarata e do câncer, combate o derrame, mantém a elasticidade da pele e melhora feridas.

O chá de amora inibe naturalmente a absorção de carboidratos. A 1-desoxinojirimicina presente na folha de amora inibe uma enzima no trato intestinal (alfa-glicosidase) envolvida na digestão de carboidratos. Isso significa que os alimentos ricos em carboidratos e amido, como pão, arroz, macarrão e batatas, não se transformam em glicose no corpo.

O chá da folha de amora também é utilizado para aliviar sintomas da menopausa e da cefaleia e irritação que ocorrem no período pré-menstrual. Isso se deve à presença de flavonoides, especialmente as isoflavonas.

Efeitos colaterais

Para quem possui problemas como hipoglicemia (nível de açúcar baixo no sangue), tomar muito chá de amora talvez não seja uma boa ideia, tendo em vista que a folha da amora possui a propriedade de reduzir ainda mais o nível de açúcar sanguíneo.

Pessoas que tomam medicamentos para controlar a diabetes são aconselhadas a evitar beber chá de amora, pois ele pode interagir com a medicação e causar hipoglicemia. Caso você queira combinar os efeitos do remédio com os efeitos do chá de amora, sua médica ou médico pode reduzir a quantidade de medicação para diabetes.
Se você consumir produtos de amoreira e desenvolver urticária, pulsação acelerada, inchaço, dificuldade para respirar ou outros sintomas agudos, interrompa o uso e entre em contato com uma médica ou médico imediatamente.
Como escolher o Chá de Amora

Para fazer chá de amora, você pode colher as folhas da amoreira mais próxima de sua casa (desde que não esteja plantada em terreno contaminado). Se você optar por comprar, é indicado que dê preferência aos orgânicos.

Como preparar o Chá de Amora

  • Coloque duas colheres de chá de folha de amora em infusão em 250 ml de água (equivale a um copo americano de água).
  • Deixe por dez minutos e, pronto, pode consumir.
 



UTILIZE NOSSOS CANAIS DIGITAIS
Tel: (21) 97445-8205